Número total de visualizações de página

quarta-feira, 22 de março de 2017

Nada de perturbar o politicamente correcto!...

"O pacto na zona euro baseia-se na confiança. Com a crise do euro, os países do norte na zona euro mostraram a sua solidariedade para com os países em crise. Como social-democrata considero a solidariedade extremamente importante. Mas quem a exige, também tem obrigações. Não posso gastar todo o meu dinheiro em álcool e mulheres e continuar a pedir ajuda. Este princípio aplica-se a nível pessoal, local, nacional e, inclusivamente, europeu.”
Jeroen Dijsselbloem, Ministro das Finanças da Holanda e Presidente do Eurogrupo, ao jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung
Pelos vistos, Portugal sentiu-se atingido, dado o repúdio unânime da classe política, do governo à oposição. E, na base de que Portugal cumpre, todos invectivam o ministro. 
Não estou a perceber bem: se Portugal realmente cumpre e não pede ajuda, porquê enfiar a carapuça? Ou, se não cumpre, também não consegue encaixar uma simples e politicamente incorrecta caricatura?  

5 comentários:

SLGS disse...

Não encaixam porque quase todos, (falo de Partidos)têm o pé molhado. Só isso.

José Domingos disse...

As primadonnas cá do burgo, dão-se mal com a verdade, ficam muito ofendidas. Quero ver quando o bce, não der mais dinheiro para a pinga..

Tiro ao Alvo disse...

Os nossos actuais líderes do PS não entendem o ministro holandês, mesmo sendo ele da sua cor política, assim como não entendem o Jaime Gama, que, no passado, ocupou lugares de capital importância naquele Partido.
Esperemos pela pancada...

Fernando S disse...

Claro que foi apenas uma metáfore !…
Perfeitamente ajustada e acertada !!
Os paises do Sul da Europa, como Portugal, andaram a gastar alegremente mais do que tinham e agora ainda têm a desfaçatez de vir “exigir” solidariedade (isto é, que paguem a conta) aos outros.
Até podia ter dito : “Andaram a esturrar o dinheiro em putas e cerveja e agora querem almoços grátis !”
A nacional-indignação que revelou grande parte da “inteligencia” do nosso pais, do "politicamente correcto" à esquerda até à "idiotice útil" à direita, mostra bem o grau e a extensão da mentalidade chula a que aqui se chegou !

Pinho Cardão disse...

E não é que estou de acordo com o SLGS, o José Domingos, o Tiro ao Alvo e o Fernando S?