Número total de visualizações de página

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Seis notas à tragédia de Pedrógão

1.Primeiro que tudo, a minhas condolências, e as do Quarta República, pelas vítimas da tragédia de Pedrógão, engolidas pelas chamas de um inferno dantesco. 
2. Depois, a minha homenagem a quem, com poucos meios, mas suprema coragem e abnegação, com risco da própria vida, combateu os fogos, impedindo o alastramento e salvando pessoas e bens.
3. Também uma palavra de apreço para os partidos políticos, nomeadamente os da oposição, que se abstiveram de criticar e culpar o governo, ao contrário das barragens de críticas em que o PS, PC e Bloco são useiros e vezeiros em situações menos dramáticas, sempre que o PSD está no Governo. Lembro-me perfeitamente da vergonhosa gritaria nos grandes fogos de 2003 ou 2004.
4. Muitos membros dos órgãos de soberania acorreram a Pedrógão, passeando-se pelos écrans das televisões sem nada dizerem, repetindo-se uns aos outros e repetindo o que os jornalistas já haviam dito e reafirmavam depois, replicando o que mesmo antes acabara de ser referido. Também vimos uma ministra cujo objectivo da deslocação parece ter sido o de informar sobre os pontos de acolhimento e confirmar ou ir actualizando o número de vítimas, infelizmente já por demais conhecido.
5. Comentando a enorme tragédia, e como sempre acontece, as televisões descobriram um enorme corpo de iluminados que tudo sabem sobre fogos e a maneira de os evitar e combater. Em termos de power-points, presumo, face ao que pude ouvir. 
6. Por fim, há notícias de que o Comando da Protecção Civil terá demorado 5 horas a responder aos angustiantes apelos vindos de Pedrógão. Verdade ou mentira, é algo que deve ser investigado até à última gota. Até para que a responsabilidade não se fique pela trovoada seca que se abateu sobre um pinheiro, logo miraculosamente encontrado, ou mesmo seja atribuída aos eucaliptos.

3 comentários:

Fernando Vouga disse...

"Até para que a responsabilidade não se fique pela trovoada seca que se abateu sobre um pinheiro, logo miraculosamente encontrado, ou mesmo seja atribuída aos eucaliptos."

Muito bem observado.

Pinho Cardão disse...

Pois é, mas vai ver que a culpa toda é do raio e do raio dos eucaliptos...

jm disse...

...e de algumas das vítimas que não limparam os seus latifúndios florestais...